Como emitir CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico)?
Finances Web

Como emitir CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico)?

Se a sua empresa presta serviços de transporte e logística, você com certeza já ouviu falar do CT-e, o Conhecimento de Transporte Eletrônico. 

Em todo o Brasil, transportadoras são obrigadas a emitir um CT-e para cada serviço de transporte realizado. 

Mas afinal, você sabe o que é o CT-e? E o mais importante: como emitir CT-e? Continue lendo e descubra tudo!

O que é CT-e?

O CT-e, Conhecimento de Transporte Eletrônico, é um documento fiscal eletrônico que acoberta, valida e informa o fisco sobre operações de prestação de serviço de transporte de cargas.

A principal funcionalidade do CT-e é simplificar as obrigações fiscais do contribuinte e facilitar a fiscalização. Isso porque o CT-e contém, por exemplo, uma lista das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) referentes às mercadorias transportadas.

Assim, um caminhoneiro abordado por um fiscal pode apenas mostrar o DACTE (Resumo impresso do Conhecimento de Transporte) ao invés de apresentar as DANFEs de cada mercadoria transportada.

Além disso, é importante notar que o CT-e possui validade jurídica em todo o território nacional. Por isso, para emitir um Conhecimento de Transporte, o emitente deve inserir sua assinatura digital, a partir de um certificado digital válido.

O que é DACTE?

O DACTE (Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico) é uma representação física (impressa em papel) e simplificada do CT-e.

Por lei, o DACTE deve ser levado junto com o veículo durante o serviço de transporte. Em postos de fiscalização, os fiscais solicitam o DACTE ao motorista, ao invés de pedir cada nota fiscal individualmente.

Quem é obrigado a emitir CT-e?

Todas as empresas do ramo de transporte, com exceção dos Microempreendedores Individuais (MEI), precisam emitir um CT-e para cada serviço de transporte de cargas prestado prestado, independente do modal. 

O CT-e comporta todos os seguintes modais:

  • Rodoviário
  • Ferroviário
  • Aquaviário
  • Aeroviário
  • Dutoviário

Por isso, o CT-e foi capaz de substituir uma gama de documentos de papel, que eram bem mais burocráticos e muito mais suscetíveis a erros de preenchimento, tais como:

  • Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8;
  • Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9;
  • Conhecimento Aéreo, modelo 10;
  • Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 27;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte, modelo 7, quando utilizada em transporte de cargas.

Se você é um Microempreendedor Individual (MEI) no ramo de transportes, a emissão do Conhecimento de Transporte é facultativa. Mas caso queira, pode solicitar credenciamento voluntário para emissão de CT-e no portal da SEFAZ do seu estado.

Mas se você a sua empresa enquadra em qualquer outro regime tributário, como Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido, a emissão de CT-e é obrigatória. 

Mas fique tranquilo: emitir CT-e pode ser mais fácil do que você imagina.

Como emitir CT-e?

Agora que você já sabe o que é e quem é obrigado a emitir, vamos entender, passo a passo, como emitir CT-e! Vamos lá?

O primeiro passo para emitir Conhecimento de Transporte Eletrônico e acobertar seus serviços de transporte, é cadastrar-se na Secretaria da Fazenda do seu estado. Normalmente, isso pode ser feito através do portal da SEFAZ.

Em seguida, você deve adquirir um certificado digital para a sua transportadora. Esse processo só pode ser feito pelo proprietário, através de uma Autoridade Certificadora homologada pelo ICP Brasil.

Feito isso, você já tem os requisitos necessários para emitir, e está na hora de adquirir um Software de Gestão capaz de emitir CT-es a partir dos dados da sua empresa.

Nessa hora, a decisão é um pouco mais profunda do que apenas cumprir uma obrigatoriedade. Um bom software de gestão tornará a operação da sua transportadora muito mais rápida e com menor custo, muito além da emissão de CT-e.

Nossa sugestão é contratar um sistema leve, que cumpra os seguintes requisitos:

  • É fácil e rápido de usar no dia a dia
  • É fácil de aprender e ensinar um novo funcionário a usar
  • Emite os documentos fiscais que preciso emitir
  • Posso acessar de qualquer lugar
  • Posso integrar com outras aplicações

O custo fica a seu critério, mas existem soluções que cumprem todos estes requisitos e possuem planos a partir de R$ 99,00, como o Finances Web.

Dê uma olhada no módulo de CT-e do Finances Web:

Gostou? Clique no botão abaixo e saiba tudo que o Finances Web pode fazer pela sua transporadora!