Posts Tagged "demander"

Em qualquer negócio que trabalhe com vendas, é fundamental potencializar a produtividade da equipe para que os desempenhos evoluam constantemente. Para isso, uma das soluções é a utilização da automação, que permitirá o uso de dados para monitorar os números dos profissionais, a partir de um software de vendas ou algo relacionado.

Força de vendas

Um primeiro passo importante é oferecer recursos para que vendedores externos consigam ter seu trabalho bem organizado. Para isso, pode-se utilizar o que é chamado de força de vendas. Este conceito diz respeito aos sistemas que aumentam a produção do profissional que exerce sua função fora da sede da loja.

Além de melhorar as condições de trabalho, ter um software de vendas eficiente permite um melhor monitoramento dos números e da eficácia deste profissional, já que não é possível acompanhar suas ações tão de perto, por conta dos deslocamentos ao longo do dia.

Formas de monitorar o trabalho dos vendedores

De qualquer forma, mesmo pensando nos profissionais que fazem as vendas diretamente de uma loja, de um espaço físico preestabelecido, é fundamental que as formas de avaliar o desempenho sejam a partir de softwares e de processos automáticos.

O trabalho manual traz muitas dificuldades desnecessárias em tempos de tecnologia cada vez mais integrada e fornecendo soluções às empresas.

Por exemplo, muitas lojas já se utilizam de plataformas de venda automatizadas, com espaços virtuais para compras e outras facilidades aos clientes. Quanto aos vendedores, é possível criar sistemas para monitorar a produtividade deles.

E são várias as possibilidades. Cada profissional tem seu cadastro de emprego, um número que o identifique ou algo do tipo. Tudo pode ficar mais simples se, a partir deste registro, o sistema consiga contabilizar o número de vendas concretizadas pela pessoa, o tempo que ela gasta atendendo cada cliente, entre outras informações que fazem parte da análise de desempenho.

Além disso, pode haver os estímulos aos clientes, para que eles deem notas e avaliem o vendedor. E isso se torna muito mais fácil a partir de um painel no qual o público coloque suas impressões e isso chegue direto ao gestor, que terá uma melhor noção de como os seus clientes veem determinado funcionário.

Possibilidade de fazer adequações necessárias

Por meio dos softwares de venda, também é possível corrigir rotas. Se os números indicam que um determinado vendedor tem mais sucesso em um segmento, enquanto outro vai melhor em uma área diferente, isso pode jogar a favor do negócio. Mas para isso ser percebido, é necessário um monitoramento completo e feito com a ajuda de sistemas eficientes.

Gestão de rotas da equipe de vendas: como ser mais eficiente com uma tecnologia especializada

Quanto aos vendedores externos, à força de vendas, as automações também permitem uma grande melhora no monitoramento e ajudam a cobrar, ou elogiar, de forma correta e embasada, já que os relatórios recebidos serão baseados em números que indicam de forma bastante fidedigna o desempenho deste profissional.

Monitoramento justo gera maior confiança aos vendedores

Em tempos antigos, um dos tipos de monitorar os vendedores era ter um gerente que ficasse como observador, acompanhando o comportamento dos profissionais. Porém, este é um formato que, muitas vezes, pode trabalhar contra a empresa, deixando os funcionários mais incomodados e desconfortáveis.

Por isso, a nova forma de monitoramento, com um sistema que indique números para comprovar a eficiência do vendedor, são bem mais recomendados. Além disso, o funcionário sabe que a análise será justa e baseada em dados, não apenas na impressão pessoal de um chefe, que pode distorcer fatos por gosto pessoal.

Ou seja, os softwares de venda trazem o monitoramento mais correto, permitem aos gestores acompanhar detalhadamente os números dos vendedores e ainda deixam os funcionários mais seguros sobre suas possibilidades de prestígio, em caso de exercerem bem suas funções.

Redator Demander

O Demander possui um sistema completo de Gestão Comercial. Força de Vendas, E-commerce B2B, CRM, Monitoramento de Dados e muito mais! Outros posts feitos por Demander

O marketplace é um modelo de negócio que surgiu no Brasil em 2012, também é conhecido como uma espécie de shopping center virtual. É considerado vantajoso para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilita a procura pelo melhor produto e melhor preço.

Diversas empresas mundialmente conhecidas participam desse mercado: Americanas, Shoptime, Walmart, Mercado Livre, OLX e Bom Negócio, por exemplo. Mas a pergunta é, por que esse modelo de trabalho é tão popular?

Vou exemplificar da maneira mais simples!

Suponhamos, você abriu recentemente uma loja física de óculos, semelhante a de um amigo. A diferença é que a loja dele já está estabilizada no mercado há alguns anos e num local de bastante movimento, diferente da sua. Agora imagine, seu amigo ofereceu um espaço na loja dele para que você pudesse divulgar seus produtos, em troca de uma porcentagem sobre os seus lucros.

Imaginou? Pois bem, isso é marketplace!

Vantagens:

Visibilidade

Sem dúvidas, a maior vantagem do marketplace é a visibilidade. Quanto maior a quantidade de visitas que o site possui, mais sólido será o público atingido. Isso elimina a necessidade de investimento de tempo e dinheiro para a divulgação. Um bom exemplo disso, é o Mercado Livre, ele é acessado por milhões de usuários diariamente e é o maior site do segmento. Além disso, uma vez que seu produto está na vitrine dos maiores e-commerces, maior a confiança dos clientes para comprá-lo, mesmo que a sua marca ainda seja nova. O site é a porta de entrada e uma vez gerando confiança ao consumidor, ganha credibilidade no mercado. Isso subentende-se que todos os produtos nele comercializados são de confiança e qualidade.

Custos e Retornos

Em uma plataforma com tantas marcas, os custos de publicidade acabam sendo reduzidos. No geral, você deverá negociar com o marketplace os valores acordados, afinal ele fornece a vitrine para você expor seus produtos e ,consequentemente, receber tráfego e visitação.
Levando em consideração os investimentos em marketing, tecnologia e mídia os quais o lojista dispensa nesse modelo, a margem de lucro se torna ainda mais alta no modelo marketplace, visto que a grande maioria trabalha com porcentagens sobre lucros ou comissões sobre vendas.

Aumento das Vendas

marketplace oferece uma grande oportunidade de vendas para as lojas. Os maiores marketplaces brasileiros possuem uma audiência elevada, agregando em média, 40 milhões de potenciais compradores, o que significa que ao trabalhar com essa plataforma, você amplia sua possibilidade de novos clientes realmente interessados no seu produto.

Um bom exemplo disso, é a Magazine Luiza. Ao procurar por uma panela, um usuário poderá encontrar diversas marcas, desde uma renomada, até uma nova no mercado. Se as características e o preço da última forem mais vantajosas, é bem provável que o cliente finalize a compra. Enquanto isso, se a mesma trabalhasse apenas de maneira convencional, teria todo um trabalho de construção de marca, relacionamento com o público, entre outras etapas, até finalmente conquistar a confiança para realizar uma venda.

SEO

Seu produto aparecerá em sites muito bem indexados e, consequentemente, terá uma referência para sua loja nele. Seu próprio e-commerce ganhará força no SEO, contribuindo indiretamente no ranqueamento de seu site, aumentando seus acessos e ,consequentemente, suas vendas diretas.

Diversidade de Público e Crescimento do Negócio

Novos usuários conhecerão sua marca, trazendo um novo público para você, possibilitando a chegada de uma nova demanda, podendo assim aumentar o leque de produtos oferecidos pelo seu e-commerce.

Com o aumento de visibilidade, de clientes e de faturamento, o marketplace possibilitará o crescimento do seu negócio. Assim, terá novas oportunidades e ideais para atingir metas cada vez maiores, apostando em novos produtos, trazendo novos nichos para a loja, fazendo-a destacar-se mais.

Os 2 maiores grupos vendedores (online) do Brasil, a B2W ( americanas.com + submarino.com.br + shoptime.com.br + soubarato.com.br) e a CNOVA (casasbahia.com.br + pontofrio.com.br + cdiscount.com.br + barateiro.com + extra.com.br),  detém cerca de 50% de todas as vendas no mercado digital. Se pensarmos que além desses sites, existem outros de  porte como: Mercadolivre, Wallmart e Netshoes, operando também como MARKETPLACES, chegaremos a conclusão que o sucesso no mundo virtual passa obrigatoriamente por este tipo de canal de vendas.

Desvantagens:

Dependência

Um fator que pode ser considerado negativo é a dependência gerada para as empresas que estão inseridas nesse modelo de comercialização. Isso, porque se um marketplace decide encerrar suas atividades, todas as marcas envolvidas perdem seu canal de venda. Em um cenário pior: se uma loja depende exclusivamente do marketplace, o negócio tem grandes chances de ir por água abaixo.

O aumento das taxas, porcentagens sobre vendas ou comissões, também podem pesar. Se uma loja funciona somente por desse canal, ela acaba sendo obrigada a se enquadrar nessa situação, como a variação e aumento de custos.

Afeta a Personalidade da Marca

Embora o marketplace identifique sua marca na hora de venda do produto, ainda assim, o cliente estará comprando da “loja x” e não da sua. Pense bem: sem dúvidas você já disse ou já ouviu alguém responder: “Comprei lá na Netshoes” , quando alguém elogia um tênis, por exemplo. Pois bem, mas e a marca desse tênis? Alguém se lembra de perguntar?
Nessa etapa, fixar a marca na mente do consumidor e gerar uma recompra é mais difícil, visto que você praticamente não trabalha a identidade dela.

O que fazer?

A grande verdade é: não existe fórmula perfeita. O marketplace pode funcionar perfeitamente para alguns nichos e não performar tão bem em outros, em consequência de uma série de fatores. Nada impede sua empresa de ter um e-commerce, mas também invista em marketplaces, até porque ao colocar essas duas ações para caminharem juntas, seu negócio irá colher as facilidades e benefícios geradas por ambas.

O marketplace é um atalho relativamente mais rápido para levar seus produtos de encontro aos seus clientes, mas é importante não descuidar do caminho do seu negócio, caso você possua um e-commerce. Analisar o momento da sua empresa, a maneira melhor trabalhada com o público, e claro, seus produtos.

Primeiros passos

Para iniciar o processo de vendas em Marketplaces, é preciso cumprir uma série de passos, simples porém trabalhosos e nem sempre fáceis de se alcançar por um usuário leigo no assunto.

Abaixo, os principais passos:

1 – Cadastrar sua empresa nos Marketplaces

Você deve entrar em todos os marketplaces que deseja vender seus produtos para cadastrar sua empresa. Todos esses cadastros são automatizados, sem contato telefônico. Isso muitas vezes pode causar insegurança, já que nem sempre recebemos um retorno de confirmação do cadastro no tempo desejado. A insistência deve prevalecer.

2 – Aguardar o retorno do Marketplace

O tempo de espera (pode chegar a 45 dias) é o que há de mais desgastante neste processo. Embora a plataforma para o cadastro seja 100% digital, o acompanhamento do processo de credenciamento, deixa dúvidas quanto ao que fazer. Sugerimos manter a calma, pois se o seu produto for do interesse deles, certamente devem retornar.

3 – Escolher uma plataforma de integração

Ao decidir, vender em um MARKETPLACE, você deve tomar a decisão de se relacionar diretamente com cada um deles ou escolher por uma plataforma de integração que permita a sincronização e administração com vários MARKETPLACES de uma única vez. Se você pretende vender seus produtos em várias lojas, escolher uma plataforma de integração é o mais indicado. Este cenário, porém,  envolve custos adicionais.

O ERP Finances já possui toda a integração aos Marketplaces utilizando a loja virtual TRAY, clique aqui e veja como funciona!

4 – Integrar ou não sua loja virtual com o(s) MARKETPLACE(S)

Se você já tem um site de comércio eletrônico e decidiu utilizar uma plataforma de integração para vender em um MARKETPLACE, é recomendado que está integração contemple também sua loja virtual. Desta forma, em um só local você poderá fazer toda a gestão do negócio, evitando retrabalho com as operações de venda.

5- Custos para vender em Marketplaces

Para vender em um  MARKETPLACE, você deverá pagar uma taxa de intermediação para o mesmo. Está taxa varia entre 13% a 18% (na CNOVA, B2W, MERCADO LIVRE).

No segmento de moda, existem MARKETPLACE como a KANUI ou DAFITI que cobram até 30%. Nestes valores todos os custos estão inclusos, inclusive as taxas de cartão, segurança antifraude e a promoção dos seus produtos.

Como podemos ver, existem muitas oportunidades e algumas dificuldades para vender em MARKETPLACES. O sucesso nas vendas só será possível com um planejamento correto.

Caso queira vender seus produtos em Marketplaces, conte com a FHONLINE SISTEMAS, pois estamos preparados para apoiá-lo em todas as implementações necessárias para este negócio.

Em um mercado cada vez mais exigente e competitivo, é necessário que seu time de vendas esteja alinhado, já que as vendas são o coração de qualquer negócio, não é mesmo?

A maioria das empresas quando precisam incrementar o faturamento, logo pensam em aumentar seu time comercial, mas existem algumas técnicas que podem ajudar sua companhia a melhorar a produtividade nas vendas.

Reunimos neste artigo 5 dicas que vão te ajudar a otimizar as vendas da sua equipe comercial, sem necessariamente aumentar o número de pessoas do seu time, vamos lá?

1 – Conheça seu Cliente

Antes de mais nada é fundamental que você conheça seu mercado de atuação a fundo e consequentemente os perfis dos clientes que você já atende e gostaria de atender.

Com isso você saberá de forma precisa quais perfis de clientes são mais fáceis de fechar uma venda, gerando um maior retorno.

Se você realiza vendas consultivas, é indispensável que seus leads passem por uma etapa de qualificação ou pré-vendas. Neste processo, normalmente realizado por telefone, são feitas algumas perguntas chave para descobrir o maior número de informações acerca das necessidades dos leads, gerando uma venda mais assertiva.

2 – Revise seu Planejamento de Vendas

Um dos passos mais importantes para otimizar as vendas é verificar se não há falhas na definição da sua persona e do perfil do seu cliente ideal. Com isso, seus vendedores conseguirão se comunicar melhor com os leads.

É fundamental que você revise seu planejamento estratégico de vendas, ajuste as metas e utilize métricas de monitoramento anualmente.

Aplicando essas 2 primeiras dicas, você já vai notar uma grande diferença na produtividade da sua equipe, sem contar que ainda vai ajudar bastante o seu time de marketing.

3 – Utilize Boas Ferramentas

O uso de algumas ferramentas podem ajudar, e muito, seu time comercial. Neste sentido, adotar soluções de agilizem o trabalho dos seus vendedores e de toda a sua equipe são super importantes.

Dentre os métodos e softwares disponíveis no mercado, listamos 3 delas que com certeza irão ajudar a não sobrecarregar sua equipe, são elas:

  • ERP – Um bom sistema de gestão empresarial integrado online (ERP – Enterprise Resource Planning) permite que o gestor tenha total controle de tudo que acontece na empresa, da emissão de pedidos a expedição, incluindo o fluxo de caixa e emissão de notas fiscais. Essas informações podem ser acessadas de qualquer lugar que tenha conexão com a internet, agilizando a tomada de decisão dos gestores.
  • CRM – O uso de um sistema de CRM (Customer Relationship Manager ou Gestão de Relacionamento com o Cliente) facilita a abordagem dos seus vendedores, já que com ele é possível armazenar as informações dos seus leads e atuais clientes, suas atividades e pontos de contato com a empresa, como ligações, e-mails e visitas. No entanto, esta plataforma não é apenas uma lista de contatos bem organizada e bonita, ela reúne e integra dados valiosos para preparar e atualizar sua equipe com informações pessoais dos clientes como suas preferências e frequência de compras.
  • Funil de Vendas – Esta metodologia, se bem aplicada, é capaz de alavancar seus resultados, aumentando a quantidade e a qualidade dos negócios fechados. O funil de vendas cria técnicas capazes de direcionar seu lead por todas as etapas, desde o primeiro contato até o fechamento. Estas etapas são: Visitantes, Leads, Oportunidades e Vendas, mas podem ser adaptadas a sua realidade.

4 – Aposte em marketing digital

Uma boa estratégia de marketing, incluindo a presença digital, é imprescindível para todas as empresas atualmente.

Você precisa estar presente nas redes sociais para gerar uma experiência entre a sua marca e os seus clientes. Otimize seu site, através de técnicas de SEO para ser encontrado pelos motores de busca como o Google.

Por fim, invista na criação de conteúdos relevantes e materiais ricos para o seu público, criando um relacionamento com os usuários do seu site.

5 – Invista na qualificação da sua equipe

A sua equipe deve sempre estar bem motiva para que trabalhe melhor e mais felizes. Para isso, incentive e invista na qualificação do seu time, seja com cursos, workshops, palestras e treinamentos.

Assim, seus profissionais de vendas desenvolverão novas habilidades, técnicas e competências para colocar em prática no dia a dia da empresa.

Viu como é fácil otimizar suas vendas sem aumentar sua equipe?

Além dessas 5 dicas, existem muitas outras formas de otimizar suas vendas, entretanto é fundamental um bom acompanhamento dos resultados e mudanças, para que você possa auxiliar sua equipe da melhor maneira possível.

Vamos inovar agora?

A FHONLINE SISTEMAS possui toda ferramenta necessária para um bom gerenciamento, automatizando seu processo de vendas!

  • ERP FINANCES – Nosso sistema de gestão possui módulos para você gerenciar com facilidade as finanças da sua empresa, controlar o desempenho das suas vendas e manter o relacionamento com os seus clientes. No faturamento, conte com emissão de notas fiscais e boletos registrados automaticamente.
  • DEMANDER FORÇA DE VENDAS – Aplicativo mobile para Android ou iOS (Apple) para realizar pedidos, vendas, orçamentos e prospecção de clientes (captura de contatos e possíveis clientes). O Demander já é integrado com o ERP FINANCES, onde captura todos os pedidos feitos no Demander. O Demander possui uma gama de configurações que se adequam com a política da empresa
  • PLUGDASH – Aplicativo mobile para Android ou iOS (Apple) para acompanhar em modo de dashboards (gráficos) e em tempo real, o desempenho da equipe de vendas: analisando pedidos realizados x faturados, andamento das metas de vendas, acompanhamento do estoque de produtos disponíveis para vendas, e muito mais!

Faça uma consulta sem compromisso com nossa equipe comercial, podemos lhe orientar a ter o melhor desempenho pelo menor custo!

Fonte: Blog Demander

Um bom controle de estoque influencia diretamente nos resultados da empresa e pode ajudar a aumentar a sua lucratividade. Da mesma forma a falta dela pode prejudicar a saúde financeira do negócio.

estoque sendo gerenciado por uma mulher

Otimizando seus processos internos de estoque também irá acarretar na diminuição de tempo e energia perdidos.

O que é a Gestão de Estoque?

Controle de estoque tem como objetivo realizar a gestão dos produtos e registrar o fluxo destes, tanto os que entram como os que saem. Controlar o estoque é entender como o setor está se movimentando.

Além de registrar as quantidades dos produtos é importante registrar suas características também, podendo assim armazenar os produtos por tamanho, cor, formato, peso, entre outros atributos. Isso ajudará muito na organização.

Aproveitamento do seu espaço – Quando bem armazenada, suas mercadorias, a vantagem é visível. Além de ter o espaço físico mais bem aproveitado, é possível encontrar seus artigos com mais rapidez. Permitindo sua equipe ser mais produtiva e evitando perdas.

Produtividade da equipe – Quando padronizado os processos de sua gestão do estoque, naturalmente vai evitar trabalhos manuais que antes possuía. Criando uma equipe mais produtiva e diminuindo erros.

Reabastecimento – Ao mesmo tempo em que organiza seu estoque o seu setor de compras também é otimizado. Quando se tem um rigoroso controle das movimentações dos produtos, sabe-se quando é necessário comprar mais mercadorias e não deixar que falte estoque.

Tendências – Também controlando seu estoque você terá os relatórios de produtos que mais tem saída, aprendendo muito sobre o próprio cliente. Use isso de maneira estratégica para o lançamento de promoções no momento certo.

Dar atenção ao comportamento dos consumidores é possível identificar quais produtos estão saindo de linha. Assim seu negócio consegue prever tendências e ser o primeiro a oferecer novidades no mercado.

Economia – Evitando compras de mercadoria que não tem saída, o dinheiro economizado pode ser usado na compra de produtos que tenham mais saída. Isso traz benefícios ao setor financeiro no curto prazo.

Boas práticas para gerenciar um estoque

grande estoque de caixas

Criação de um Inventário – Faça um levantamento de todo seu estoque físico por meio de um inventário. Nesse processo, é importante que você organize a disposição dos produtos no espaço. Separe por tipos, em diferentes localidades. Além de melhorar a movimentação das mercadorias, trará agilidade a outros processos.

  • As formas mais comuns para você registrar seus dados para o inventário são:
  • Manualmente (caneta e papel);
  • Planilhas eletrônicas;
  • Com um sistema ERP. Embora essa opção não seja a mais barata, ao longo prazo ela traz agilidade e competitividade para superar a concorrência.

Informações Importantes – Algumas referências dos produtos são muito importante na hora de fazer o inventário.

Essas informações te ajudarão futuramente na tomada de decisões.

Algumas delas são:

  • Número de referência
  • Custo
  • Fabricante
  • Categoria
  • Localização
  • Validade

Conhecer bem seus produtos e como ele se movimenta, desde a data de compra até a data de venda é crucial para o negócio.

Controle dos preços

Além de saber a quantidade de cada produto em estoque você também precisa saber quanto de lucro cada item gera para o negócio. Alguns ERP’s fazem essa gestão de compras e vendas, possibilitando ter mais precisão nas informações dos seus produtos.

Fazendo isso você poderá:

Focar nos produtos que trazem mais lucratividade;

Saber quais produtos tem melhor e pior desempenho por margem;

Não fique sem mercadoria

Ficar sem estoque é uma das coisas mais perigosa em um negócio. Por meio de análises de relatórios você poderá ter um histórico das vendas e se planejar para não ficar sem estoque em determinados períodos.

E o contrário disso, ter mercadoria que não sai de estoque, também é um problema. Você pode resolver isso criando promoções ou dando descontos especiais.

Alguns erros na gestão de estoque

Como essa atividade demanda muita concentração, é comum que aconteçam erros nessa trajetória. Confira alguns abaixo e como evitá-los:

homem fazendo inventário do estoque

Excesso de estoque – Principalmente quando a economia está em crise, é comum ocorrer excesso de estoque. Se você trabalha com produtos perecíveis talvez possa ter perdas de todo seu estoque.

Para se prevenir concentre-se em investir nos produtos mais lucrativos e que vendem melhor. Uma maneira de fazer isso é começar a analisar suas vendas mensalmente.

Compare esses relatórios com os dos anos anteriores, para identificar as sazonalidades.

Estoque insuficiente – A falta de produtos também pode acarretar em prejuízos para o negócio que muitas vezes nem é percebido.

A falta de estoque também pode culminar na perda da confiança do cliente, que acaba sendo deixado na mão.

A falta de estoque é tão ruim quanto o excesso. Por isso, é importante um controle para que nenhum dos casos venha a acontecer.

Falta de inventário físico – A não realização de um inventário regularmente pode gerar problemas de compras indevidas ou falta de estoque em momentos críticos. Mesmo que no seu sistema diga as quantidades que você possui, é sempre bom fazer a recontagem física do estoque.

A gestão de estoque é muito mais do que apenas controlar o fluxo das mercadorias de uma empresa. A boa gestão contribui para a melhoria de todos os setores do negócio.

Utilizando o ERP Finances

Utilizando nosso ERP Finances aí as coisas ficam mais fáceis!

Você consegue:

  1. realizar um inventário rápido e eficaz
  2. organizar seu estoque por departamento e lote
  3. definir estoque mínimo e máximo de seus produtos
  4. bloquear vendas sem ter a quantidade em estoque
  5. notificar Produtos em Falta
  6. acompanhar o estoque atual e futuro (baseado em pedidos abertos)
  7. exportar seu estoque para planilhas
  8. formalizar um pedido de compra para seus fornecedores

e muito mais!

Saiba mais em: financesweb.com.br

Fonte: Blog Demander

O monitoramento GPS da equipe não se trata de domínio ou desconfiança, refere-se a um acompanhamento que tem o objetivo de melhorar execução das etapas a serem concluídas até o cumprimento das metas.

celular mostrando posição de monitoramento

Cumprimento da jornada de trabalho

Este monitoramento pode ser usado por qualquer empresa, independente do porte ou do perfil.

O monitoramento GPS também serve como uma forma de garantir o bem-estar de cada trabalhador, evitando acidentes de trabalho e cuidado de sua plenitude física.

Benefícios do monitoramento

  • Acompanhamento em tempo real;

  • Registro de visitas;

  • Relatórios de rotas.

Se no seu negócio você trabalha com uma equipe que atua em campo, já deve ter se perguntado de que forma você pode acompanhar o desempenho e a produtividade da mesma.

Grande parte dos profissionais que atuam externamente sofrem diariamente com o trânsito, o que atinge diretamente na execução do seu trabalho. Principalmente em horário comercial é algo bem comum, que leva a influenciar em seu planejamento de atendimento.

Pontos positivos do monitoramento GPS

  • Exatidão da comunicação;

  • Segurança;

  • Controle de produtividade;

  • Aumento nas vendas.

O colaborador que está na rua pode enviar a sua geolocalização para o empregador em tempo real. Sendo assim uma garantia de mapeamento da produtividade e comportamento do realização dos seus trabalho durante sua jornada.

Trabalhando com o GPS, você terá informações de análise e eficiência da equipe externa e aumentará a confiabilidade da equipe e dos serviços prestados.

Legislação

Um cuidado importante é deixar claro para o funcionário da usabilidade de uma ferramenta de monitoramento. O colaborador externo deve estar em regime CLT, é ilegal o monitoramento de autônomos ou representantes sem o consentimento dos mesmos.

pessoa olhando as leis num livro

1. CLT

O monitoramento é somente para funcionário CLT. Neste regime é permitido pela Lei, porque o funcionário está ao dispor e de acordo com a empresa, dentro da jornada de trabalho que foi estipulada durante a contratação do mesmo.

2. “Aceito os termos de monitoramento”

O funcionário contratado deve estar ciente que será monitorado pelo aparelho eletrônico.

Na contratação ele deve assinar um contrato ou termo, com os detalhes e as regras impostas pela a empresa para a realização do seu serviço. Deve ser descrito de forma clara tudo o que acontece com o aparelho que o acompanha.

3. Rastreamento seletivo

Se você pensou em acompanhar e controlar apenas alguns dos colaboradores da sua equipe externa e dar “liberdade exclusiva” para outros funcionários externos, isso pode levar a problemas. Só é permitido quando a empresa estiver testando um sistema.

O ideal é deixar tudo acordado e registrado em um contrato assinado pelo colaborador, assim respeitando a legislação civil e trabalhista.

Monitoramento e metas:

Como saber se as metas de visitas estão sendo atingidas? Minha equipe está visitando de fato o cliente? O CRM como grande aliado.

peça de xadrez no meio de uma tabua de metas sendo atingida
Tão importante quanto o próprio monitoramento GPS. Com o CRM é possível registrar o que ocorreu na visita realizada. Informações como grau de relacionamento e prospecção com cada cliente das carteiras dos vendedores. Um dos principais elementos para assertividade em marketing e vendas.
Fonte: Blog Demander

Vamos mostrar como um funil de vendas funciona e como você pode desenvolver o seu. Aprenda com a gente essa estratégia tão importante para encaminhar seus leads ao fechamento de negócio.

O funil é composto por várias etapas, ele tem como objetivo facilitar as decisões em relação ao planejamento e em como você adquire seus possíveis clientes.

Ele quem representa o caminho que seu cliente faz, desde a primeira visita ao site até o fechamento das venda. Em alguns casos incluindo o pós venda e fidelização também.

O que é funil de vendas?

Como dito a cima, O funil de vendas é um modelo de estratégia que nos mostra a jornada do cliente, desde o primeiro contato até o fechamento de negócio.

É formado por um conjunto de etapas com o objetivo é dar suporte à trajetória de compra que o cliente faz.

Vamos falar sobre cada etapa abaixo:

funil de vendas

Topo do Funil

Nessa etapa, o seus possíveis clientes ainda não sabem que possuem um problema. Estão visitando seu site pelo conteúdo que você dispõe. Aqui você precisa mostrar pra ele como resolver os desafios que ele enfrenta.

A sua tarefa nesse nível é educar o cliente. O mesmo conteúdo que atraiu ele deve ser um conteúdo rico, com estudos e muita informação para ele desfrutar. Dessa forma ele entende que você é especialista no assunto e se sente mais confortável em entrar em contato com sua empresa.

Essa etapa termina quando o visitante preenche algum formulário dentro do seu site. Ao fornecer os dados, como nome, e-mail e profissão, ele vai se tornar um lead e avança dentro do funil de vendas.

Meio do Funil

Aqui o possível cliente já se transformou em um Lead. Estão em busca de resolver seus problemas, ainda que talvez ele esteja confuso quanto ao que é o seu problema de fato. Fique longe da ideia de querer empurrar seu produto ou serviço de cara para ele.

Tente entender suas dores e ajudá-lo ao máximo com dicas. Trabalhe em cima disso até ele ficar maduro para a próxima etapa do funil.

Fundo do Funil

Os leads aqui se tornam oportunidades, já podendo ser entregues à equipe de vendas.

Quando você criar conteúdos ricos, você acaba estabelecendo confiança com seus leads. Você é visto como referência no assunto. Isso ajuda muito para que o prospect feche negócio com sua empresa.

A etapa acaba quando o lead realiza a compra de seu produto ou serviço e se tornam um cliente.

Os objetivos do funil de vendas

O objetivo do funil se resume a encontrar as pessoas certas. Pessoas que realmente precisam de seu produto ou serviço e encaminhá-las para efetuar o negócio.

funil de vendas convertando leads em clientes
Algumas vantagens:

Otimização do processo de vendas

Com o uso de um funil de vendas, e o mapeamento de perguntas que o usuário faz, você pode oferecer informações que seu cliente está buscando, acertando em cheio na sua necessidade.

O funil também vai permitir mais alinhamento entre a equipe de vendas e marketing. Como o lead pode surgir em qualquer nível do funil repentinamente, a equipe deve estar informada de tudo.

É importante estar presente em todas etapas do funil, do início ao fim. Essa é a hora em que você pode criar vínculo com seu cliente. Ele vai se sentir importante quando você mostrar preocupação em ajudá-lo em seus problemas. Assim o nível de confiança aumenta e as chances de fechar negócio também.

Organização

Quando gerenciado de forma correta, um funil de vendas traz boa organização de seus resultados sobre as vendas.

Com a organização do funil você pode ver quais leads são potenciais ou não, e assim dispensar os não qualificados mais rapidamente e dar atenção para quem realmente está interessado.

Quanto mais rápido você definir seus níveis do funil de vendas, mais rápido irá compreender o que é preciso fazer para que seus clientes potenciais deem um passo para o próximo nível.

Dessa maneira você irá fornecer informações com maior rapidez e dar atenção especial para o lead com antecedência, diminuindo o tempo entre seu primeiro contato e o fechamento do negócio.

Monitore as métricas mais importantes de suas vendas. Para que consiga aproveitar ao máximo o seu funil de vendas. Isso deixará ele mais saudável e também você saberá se está usando o seu tempo de forma eficiente.

Algumas métricas pra ficar de olho:

  • Número de leads no funil

  • Porcentagem média de negócios fechados

  • Ciclo de Venda: duração do negócio da primeira visita até o fechamento

Com a implementação de um funil de vendas no seus processos, sua equipe vai notar que todos aqueles telefonemas e emails para prospectar clientes se transformarão em mais negócios fechados e um maior faturamento para a empresa.

Fonte: Blog Demander

Uma Loja Virtual (ou E commerce) é um ferramenta que tem o objetivo de promover o processo de compra e venda de produtos ou serviços através da internet, ajudando o usuário de forma rápida e segura a adquirir sua mercadoria.

Ela facilita a vida do usuário trazendo informações relevantes como: preço, formas de pagamento, especificações e prazo de entrega —, garantindo a satisfação no processo de compra.

Alguns diferenciais desse canal são:

  • Conforto

  • Segurança

  • Preços mais baixos

  • Funcionamento 24/7

Vantagens x Desvantagens

Analise as vantagens e as desvantagens de um e commerce, e entenda por que muitas lojas físicas estão também adotando essa prática.

Vantagens de um e-commerce

O investimento em uma loja virtual é muito mais barato quando comparado com abrir uma empresa física. Você pode ter o mesmo (e até mais), investindo menos.

  1. Rapidez na Construção: A maioria das Lojas Virtuais já possuem um layout definido e pronto. Basta cadastrar seus produtos e sair vendendo.

  2. Redução de Custos: Como a contratação de vendedores não é necessária no e-commerce você pode ter uma margem de lucro muito maior em suas vendas. Mas um detalhe importante: não esqueça de manter um laço presencial com o cliente, tenha como rotina para a equipe de vendas visitá-lo mensalmente.

  3. Maior Área de Atuação: Com um mix de produtos bem diversificado você poderá trabalhar com diversos perfis de clientes.

  4. 24/7: Poder disponibilizar seus produtos 24 horas todos os dias é o maior aliada do e-commerce.

Desvantagens de um e-commerce

Também pode ser entendida como DESAFIO. Estes podem ser sanados, mas necessitam de boas estratégias, ferramentas, e inovação.

  1. Mostrar Qualidade: Conquistar a confiança de um novo cliente de que o seu produto tem a qualidade esperada por ele.

  2. Visualização do Produto: Um grande desafio é vender produtos que necessitam ser experimentados. Sapatos, roupas, perfumes… Antes do cliente efetuar a compra ele quer saber se o produto vai ficar bem nele.

  3. Desconfiança (novos clientes): Com o roubo de dados na internet as pessoas tendem a ter medo ao disponibilizar seus dados em sites desconhecidos.

  4. Pronta-entrega: A maioria dos clientes gosta de receber seus produtos na hora, e não depender de entregas. Estes são cautelosos na hora de decidir pela compra online.

Com o Demander, é possível criar sua loja virtual instantaneamente!

Saiba mais sobre o Demander: www.fhonline.com.br/demander

Fonte: Blog Demander

Automatize suas vendas… saia do papel agora mesmo.
Para você que é ambulante, veja a praticidade do aplicativo Demander!

O Demander está integrado ao ERP Finances Web, onde recebe o pedido digitado, fatura, emite a nota, emite os boletos, envia tudo pelo email do cliente, e devolve a danfe para ser impressa a impressora móvel (no vídeo, impressora Leopardo A7 conectada por bluetooth)

Saiba mais sobre o Demander:
https://fhonline.com.br/demander/

Conheça o ERP Finances Web:
https://financesweb.com.br/

Impressoras Leopardo (melhor custo benefício):
https://www.inputservice.com.br/

FHONLINE SISTEMAS © Inteligência em Softwares